logo
Contato | Sobre...        
rebarba rebarba

Rodrigo Strauss :: Blog

follow us in feedly

Agora eu visto a camisa da empresa

Um post que gerou bastante polêmica foi o "Eu não visto a camisa da empresa". Em um emprego meu gerente contou que, quando um diretor resolveu me contratar sem consultá-lo ele imprimiu esse artigo, levou pra mesa dele e falou: "É esse cara aqui que você vai contratar?". O que eu acho ótimo. É mais fácil quando sabem das minhas opiniões antes de eu chegar. Economiza alguma discussões.

Durante muito tempo como programador peão de obra eu vi muitos gerentes cometendo erros crassos. Na realidade, como todo programador já sabe, a cada emprego que você passa você aprende sobre várias coisas que não deve fazer para ter sucesso em um projeto. Aprende-se muito mais o que não fazer. Conheci gerentes muito bons e projetos bem administrados, mas são, infelizmente, a minoria.

Depois de ver tanta besteira sendo feita comecei a me perguntar: será que é assim mesmo que as coisas funcionam e nada pode ser feito? Cheguei a cogitar que produção de software no Brasil é isso, uma grande bagunça onde a maioria dos gerentes e diretores são maus programadores que foram promovidos e não fazem a menor ideia do que estão fazendo.

Um belo dia, depois de anos recusando, resolvi aceitar um cargo de gerente de desenvolvimento, para ver se era realmente impossível fazer as coisas de uma maneira correta. Descobri: não é impossível. Não é fácil, mas tendo disciplina, método, e principalmente interesse, é possível. O que eu descobri é que as pessoas geralmente não se importam com isso. Elas se interessam pelo cargo, não pelo trabalho. Para virar programador eu li dezenas de livros. Quantos gerentes você conhece que leram ao menos um livro sobre o assunto? Além disso, os pseudo programadores recém promovidos costumam esquecer rápido que fazer a coisa certa envolve, no final das contas, dar condições para que os programadores programem, deixando-os distantes de políticas de empresa, não enchendo o saco por causa de horário e coisas estúpidas que todos sabemos que são estúpidas. Já escrevi sobre isso bastante (aqui, aqui, aqui), não vou repetir.

(Fim da sessão reclamação. Voltando ao assunto)

Depois de mais de 3 anos programando nas horas vagas, eu finalmente consegui juntar forças com um sócio não-programador e abrir um empresa de desenvolvimento de software para o mercado financeiro, a Intelitrader. Nosso foco é fazer software de alto desempenho e alta disponibilidade, basicamente o que eu tenho feito nos últimos anos. Mas dessa vez eu não preciso preciso explicar porque estou usando C++11, Python e até Assembly quando necessário. :-)

Abrir uma empresa de software é meu projeto de vida desde que tenho 15 anos (esses dias achei o adventure que eu fiz em 1995, com o "copyright" de STRAUSSoft). Aqui na Intelitrader eu tenho silêncio para programar em paz, e mesmo que eu tenha várias tarefas de dono de empresa, sou bem mais produtivo do eu era nos empregos por onde passei. E não é porque o lucro da empresa virá para o meu bolso. É porque meu foco é fazer software bom e com alta disponibilidade.

Como eu fiz quando virei gerente de desenvolvimento, vou tentar fazer aqui. Ver se, na prática, tudo que eu sempre preguei é possível. Sem horários (e com home office), sem regras de vestimenta (estou de bermuda no escritório nesse exato momento), sem frescura. Um lugar onde os escovadores de bits podem fazer o que mais gostam. E onde o importante é fazer software bom, rápido e fácil de usar. Se eu tiver disciplina e organização suficiente (tempo todo mundo tem), vou escrevendo minhas experiências aqui.

Pois é, agora eu visto a camisa da empresa. Por vários motivos. E o motivo principal é o fato de eu poder programar em paz por 4 horas seguidas quase todo dia. Isso não tem preço...

Em 16/11/2011 14:23, por Rodrigo Strauss


  
 
 
Comentários
Daniel Quadros | website | em 16/11/2011 | #
Bem vindo ao mundo dos empresários...

DQ
Rodrigo Strauss | website | e-mail | em 16/11/2011 | #
Pelo que ouvi falar, não é fácil não. Mas me parece bem melhor do que a outra opção...
Valdemar Kjær | em 16/11/2011 | #
Boa sorte, Larry Page!
Anderson dos Santos Silva | em 16/11/2011 | #
Bem vindo ao barco!!!!

Mas como você mesmo disse... fácil não é, mas é possível sim!
O triste é as pessoas imaginarem que por você ser "dono" você trabalha menos, pelo contrário você trabalha muito mais!!!

Abs e que a força esteja contigo!!!
Rodrigo Strauss | website | e-mail | em 16/11/2011 | #
Sim, trabalha bem mais. Mas trabalha muito melhor, essa é a grande diferença...
Fábio | em 17/11/2011 | #
Um amigo está cursando uma universidade federal na área de ciências da computação; de 40 alunos iniciais, hoje restam 19 :-)

Em uma proposta de "Projeto Interdisciplinar de Programação" lemos o seguinte:

"Implemente um programa que leia cada uma das seis faces de dois cubos desmontados e diga se são iguais ou diferentes quando montados. As cores são descritas conforme a paleta da linguagem C, ou seja, são dezesseis cores representadas por um dígito hexadecimal."

Fico imaginando se eu tivesse me iniciado em programação na faculdade, acredito que teria maiores dificuldades. Será que o professor não sabia o que falava ou tinha intenção de simplificar as coisas? Afinal, pra quem está começando, ler em uma explicação descrevendo o uso "da paleta da linguagem C" seria confuso(?). De qualquer forma, ouvindo tudo que ouço, tenho temido cada vez mais as saulas de aula e me tornado amante dos livros. ;-)
Marcelo Elias Del Valle | website | em 17/11/2011 | #
Cara, meus parabéns e muita sorte!
Que você tenha sucesso e nos sirva de exemplo!!
Luciano Moreira | website | e-mail | em 17/11/2011 | #
Parabéns e boa sorte.
Dá para fazer o que é certo? Claro que dá, mas no meio do caminho vai ter um monte de gente dizendo que não dá e algumas vezes você vai ficar "balançado" para sair da linha que acreditava para pegar algum cliente ou sei lá, resolver aquele problema do fluxo de caixa da sua empresa.

Espero que você fique fiel ao objetivo, precisamos de exemplos e empresas sérias neste país.

[]s
Luti
Rodrigo Strauss | website | e-mail | em 18/11/2011 | #
Luciano, eu não vejo como tratar mal os programadores pode resolver fluxo de caixa. Eu sei que não foi isso que você quis dizer exatamente, mas vou exemplificar.

Mesmo que seja um projeto estúpido feito de um jeito estúpido só pra ganhar dinheiro, conversar isso com a equipe e explicar a situação costuma resolver. Isso já aconteceu comigo várias vezes. Coisas do tipo: "Galera, eu sei que isso vai dar merda, mas pediram pra fazer assim e dessa vez vamos fazer, ok?". Afinal, em uma negociação com cliente ou mesmo dentro da própria empresa, as vezes a equipe de desenvolvimento tem que ceder. O grande problema é que em muitas empresas essa situação acontece *sempre*. E isso é um saco.
Carlos Eduardo Ruman Branas | em 22/11/2011 | #
Ola Rodrigo

Acompanho sempre o seu blog, o qual acho um dos melhores de C++ do Brasil.
Fico feliz em ver mais uma empresa de software nascer, isso me da mais motivação em trabalhar na melhoria de nossa area!

Parabéns e boa sorte nessa nova etapa como gerente!
Rodrigo Strauss | website | e-mail | em 24/11/2011 | #
Na realidade eu já trabalhei por anos como gerente de desenvolvimento. A novidade agora é ser dono da empresa ao mesmo tempo. :-)
Joao | em 29/11/2011 | #
Eu não me importo com várias coisas dentro de uma empresa. Porém tem algumas coisas que realmente me tiram do sério:

1- Gerentes incompetentes:
Sim aqueles caras que só sabem e gostam de apenas mandar. Aqueles que quando a empresa tira eles do time faz uma enorme diferença. Afinal tem menos um pra encher a porcaria do saco e deixar a gente trabalhar em paz.

2- Passar calor:
Ar condicionado que não funciona ou mandar vir vestindo social todos os dias é algo que sinceramente não ajuda ninguem.

3- Relatorios:
Como eu odeio fazer relatorios. Ok, sempre é necessário fazer relatorios uma vez ou outra, mas é uma excessão e não regra. A partir do momento que todos os dias vc tem que fazer um relatorio qualquer simplesmente pq aquele gerente (aquele do item 1) mandou e ninguem vai ler. Pula fora que o barco está afundando.

André Almeida | em 30/11/2011 | #
Eu também acompanho o seu blog.
Desejo boa sorte pra vc nesse novo desafio.
Realmente os posts são coisas que fazem parte da nossa profissão e não só acontece comigo.
Vale muito a pena passar aqui, um abraço Rodrigo.
Julielna | e-mail | em 25/06/2013 | #
Mal entrei no seu site e já me sinto uma fã sua!!!

Você é demais por sua hitoria de vida e personalidade!!

Parabéns e muito sucesso, só não deixe de ser você, por favor!
Rodrigo | e-mail | em 02/07/2013 | #
Strauss, parabéns pela conquista! Sei muito bem o que é trabalhar em um ambiente desfavorável(infelizmente). Tive a oportunidade de trabalhar na mesma empresa que você em Porto Alegre tempos atras e sei o quão exímio programador você é! Parabéns mesmo pela conquista e que você consiga em sua empresa realizar o sonho de muitos programadores! (trabalhar em um ambiente silencioso, organizado e principalmente com chefes que realmente sabem o que estão decidindo)
Rodrigo Strauss | website | e-mail | em 04/07/2013 | #
:-)
Algo a dizer?
Nome:


Site:


E-mail:


Escreva o número vinte e seis:


 Não mostre meu e-mail no site, não serve pra nada mesmo...

Comentário





Os comentários devem ser sobre assuntos relativos ao post, eu provavelmente apagarei comentários totalmente offtopic. Se quiser me enviar uma mensagem, use o formulário de contato. E não esqueça: isso é um site pessoal e eu me reservo o direito de apagar qualquer comentário ofensivo ou inapropriado.
rebarba rebarba
  ::::